Xadrez e World Trade Center - Tabuleiro de Xadrez

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Xadrez e World Trade Center

"...Aqueles que vão à igreja jogam bombas napalm, e outros que também foram educados na tradição cristã, os nazistas, enviaram 6 milhões de descendentes dos conterrâneos de Cristo para as câmaras de gás. (...) A sociedade dividida em classes sociais continua a existir e, assim, essas pregações, mesmo as mais sinceras, mesmo quando o mestre cristão coloca nelas seu coração e sua alma, estão fadadas à futilidade por atacarem somente a superfície da violência. (...) A revolução não foi ganha com armas, mas com palavras, argumentos e persuasão. Tais palavras eram muito violentas e terrivlmente fortes, mas era a violência da emoção da revolta contra a realidade da violência que os cercava..."
(Isaac Deutscher)

O World Trade Center em Nova York já foi o palco de uma grande batalha no mundo do xadrez, esse jogo maravilhoso que os árabes ensinaram aos europeus. Você lembra qual foi? Vamos dar uma dica: os dois jogadores nasceram em países onde havia milhões de seguidores da religião islâmica. E agora, já consegue lembrar?

Amigo leitor, não pretendemos fazer humor negro. O terrorismo é condenável por motivos éticos, porque produz vítimas inocentes, e é politicamente inócuo, porque o terrorismo nunca mudou sociedade alguma em lugar nenhum do mundo e em época alguma.

Por isso, repudiamos o ato terrorista que vitimou tantos cidadãos comuns em Nova York, no dia 11 de setembro de 2001.

Do mesmo modo, recusamos a conivência com a mais mortífera forma de terrorismo que é o terrorismo de Estado, como o que foi praticado pelos nazistas na II Guerra e pelo governo dos EUA no Vietnã ou em Badgá.

Também fazemos uma distinção clara entre o povo dos EUA, digno de respeito, admiração e amizade, como todos os outros povos do mundo, e as atitudes dos governantes supremos dos EUA.

Que um dia possamos construir uma sociedade internacional na qual as únicas guerras sejam as que se desdobram sobre os tabuleiros quadriculados do jogo de xadrez!

Voltando à pergunta: você já identificou o grande acontecimento do mundo do xadrez que rolou no WTC de Nova York?

Então aqui vai a resposta: foi o match pelo campeonato mundial, disputado entre o indiano Anand e o russo Kasparov em 1995.

Anand nasceu na Índia, país onde há milhões de muçulmanos. Aliás, para muitos historiadores o xadrez teria sido inventado pelos indianos, há cerca de 1.500 anos.

Kasparov nasceu na antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, que abrigava uma grande quantidade de povos muçulmanos (na Ásia Central). Tudo indica que o xadrez chegou à Rússia diretamente da Pérsia (onde hoje está o Irã). É por isso que os russos, ao contrário dos outros europeus, chamam a Dama de vizir e os bispos de elefantes.

O governo Talebã proibiu o jogo de xadrez no Afeganistão. O que causa certa estranheza, porque os árabes foram os primeiros mestres e os primeiros a escrever livros sobre a nobre arte do xadrez. Nos célebres contos árabes das Mil e uma Noites (cujas origens datam do século X d.C.) existem diversas referências ao xadrez. Consta que a formosa Sheerazade manobrava as peças com a mesma habilidade com que demonstrava seus encantos (e não teria sido o xadrez um de seus encantos). Em Bagdá, no século VIII, viveu Harûn al Rashîd, quinto califa abássida, patrono da Casa da Sabedoria, onde trabalhavam os sábios mais eminentes do seu tempo, incluindo astrônomos, matemáticos, médicos, filósofos e jogadores de xadrez. Alguns desses jogadores árabes antigos eram famosos pela habilidade em jogar às cegas (sem ver o jogo, só de memória). Aliás, o próprio califa era tido como um bom jogador.

O match Kasparov vs. Anand foi realizado exatamente no último andar do World Trade Center, o 107o, onde ficava o deck de observação, "a quarter of mile above the city skyline", como disse um observador. Os dois grandes mestres ficaram numa sala cercada por vidro a prova de sons (a prova de balas?) , logo denominada "King Room". O principal motivo é que, nos informa o R. Keene, "planes coming in to land at New York's various airports will cruise alongside the games at window level." Não amigo leitor, o comentário do GM inglês não revela um tipo de humor excêntrico. Afinal, Keene escreveu essas palavras cinco anos antes da tragédia. Não obstante, esse era exatamente o principal motivo para a redoma de vidro no WTC: a grande quantidade de aviões que passavam perto para aterrissar em Nova York (faziam um barulho enorme).

O movimento inicial do match foi feito pelo prefeito da cidade, o sr. Giuliani, aquele mesmo que a esquerda tem acusado de práticas neofascistas.

O evento atraiu bastante atenção, inclusive de muitas pessoas que não sabem a diferença entre um xeque e um mate. Estiveram presentes dezenas de jornalistas do mundo inteiro, com coberturas de vários canais de televisão, entre as redes americanas e europeias de esportes.

Por triste ironia da história, cada jogador recebeu de presente um miniatura das torres do Trade Centre. Dentro de cada torre havia uma dama, branca numa torre, preta na outra. Anand ganhou no cara ou coroa e escolheu uma das torres, exatamente a que tinha a dama branca, a cor com que ele então deveria jogar a primeira partida do match.

Estava previsto um total de 20 partidas. Kasparov manteria o título se obtivesse pelo menos 10 pontos. As oito primeira partidas terminaram empatadas, o que revelava um forte equilíbrio inicial. Quando Anand venceu o nono encontro, houve uma grande excitação. Teria chegado a vez do "ogro" ser derrotado? Que nada! A derrota parecia ter tocado profundamente Kasparov que, em resposta, ganhou duas partidas seguidas, empatou mais uma, e ganhou mais duas. Perdendo por 4 a 1 depois da 14partida, Anand sabia que dificilmente poderia ganhar três jogos nos seis que faltavam. As partidas restantes terminaram empatadas e Kasparov confirmou seu título mundial vencendo a disputa por 10.5 a 7.5.

A partida que veremos foi a décima do match, que Kasparov venceu de modo espetacular, sacrificando uma torre inteira ainda na abertura.

Kasparov,G - Anand,V
PCA-Campeonato Mundial, Nova York, 1995
Análises e comentários de Garry Kasparov (K), e dos GMs G. Benjamin e R. Keene.

1.e4 [Gari abriu com 1.d4 no jogo 2 e com 1.Cf3 no jogo 4, mas não obteve nada da abertura. Seu 1.e4 no sexto e no oitavo jogos foram vigorosamente respondidos por Anand com novidades teóricas, por isso nós podemos seguramente presumir que Gari e sua equipe devem ter preparado alguma surpresa para Anand na linha da variante aberta da Ruy López. (B)] 1...e5 2.Cf3 Cc6 3.Bb5 a6 4.Ba4 Cf6 5.0–0 Cxe4 [A variante aberta da Ruy López, uma linha aguda que Anand praticou por bastante tempo.] 6.d4 b5 7.Bb3 d5 8.dxe5 Be6 9.Cbd2 Cc5 10.c3 d4 11.Cg5 dxc3?! [11...Dxg5 12.Df3 0–0–0 13.Bxe6+ fxe6 14.Dxc6 Dxe5 15.b4 Dd5 (15...dxc3!? 16.bxc5 cxd2 17.Dxa6+ Rd7 18.Bxd2 Dxc5 19.Tfd1 Bd6 20.Be3 De5 21.g3 Ta8 Gruenfeld,Y-Gyimesi,Z/It, Tel Aviv ISR 2001) 16.Dxd5 exd5 17.bxc5 dxc3 18.Cb3 d4 19.Ba3 Kasparov,G-Shirov,A/SuperGM, Linares ESP 2001] 12.Cxe6 fxe6 13.bxc3 Dd3 [Todos esse movimentos foram jogados mais ou menos instantaneamente. Agora, Gari se desvia do lance jogado na sexta partida (14.¤f3) e joga instantaneamente...] 14.Bc2!!N ["ideia de Mikhail Tal. Esse movimento, junto com o próximo, são o prelúdio de um espetacular sacrifício de torre. Kasparov mencionou que havia descoberto essa linha na semana anterior à da partida." (B)] [Na sexta partida do mesmo match, Kasparov não conseguiu grandes coisas com 14.Cf3 0–0–0 15.De1 Cxb3 16.axb3 Rb7 17.Be3 Be7 18.Bg5 h6 19.Bxe7 Cxe7 20.Cd4 Txd4 21.cxd4 Dxb3 22.De3 Dxe3 23.fxe3 Cd5 24.Rf2 Rb6 25.Re2 a5 26.Tf7 a4 27.Rd2 c5 28.e4 ½–½ Kasparov,G-Anand,V/New York 1995] 14...Dxc3 ["Vishy gastou apenas quatro minutos neste lance, o que sugere que o jogo ainda está acompanhando as preparações prévias para o match." (B)] 15.Cb3! "[Kasparov também jogou esse lance instantaneamente." (B) "Sacrifício de torre. Anand ficou tão surpreendido que consumiu 45 minutos do total de 2 horas que tinha para efetuar os 40 primeiros lances." (Keene)] 15...Cxb3 ["Jogado após 45 minutos de reflexão." (B)] [15...Td8!? Kasparov,G 16.Bd2 A) 16...Dxe5? A1) 17.Te1 Dd5 18.Dg4 (18.Tc1!?) 18...Cd4 19.Cxc5 Bxc5 20.Bxh7!± Rogers,I; A2) 17.Dg4! e as brancas têm a iniciativa.; B) 16...Txd2! 17.Cxd2 (lance recomendado por Kaspárov, que assinalou que aqui as brancas ficam com ligeira vantagem) 17...Cxe5 (17...Dxe5 18.Te1 Df6 19.a4!? b4 20.Cb3 Cxb3 21.Bxb3 Cd4 22.Bc4±) 18.Cb3! (18.Tc1 Dd4 posição incerta) B1) 18...Ccd3 19.f4 Bc5+ 20.Cxc5 Dxc5+ 21.Rh1+-; B2) 18...Bd6 19.Cxc5 Dxc5 (19...Bxc5 20.Tc1 Dd4 21.Bb3±) 20.Tc1 Cc4 21.Bb3±; B3) 18...Ced3 19.Bxd3 Dxd3 (19...Cxd3 20.Df3±) 20.Tc1! Dxd1 (20...Df5 21.g4! Df4 22.Txc5!+-) 21.Tfxd1 Cxb3 22.axb3 c5 23.Ta1±; B4) 18...Ced7 19.Cd4 (19.Tc1 Df6÷) 19...Bd6 (19...e5 20.Te1 Be7 21.Dh5++-) 20.Tc1 B4a) 20...Bf4 21.Dh5+ (21.Bg6+? hxg6 22.Txc3 Bxh2+ 23.Rh1 Bg3+=) 21...Rd8 (21...Re7 22.Tcd1±) 22.Tcd1±; B4b) 20...Db2 21.Bb3 Cxb3 (21...Cf8? 22.Txc5 Bxc5 23.Dh5++-) 22.axb3 0–0 (22...Cf8 23.Te1 Rf7 24.Tc2 Da3 25.Df3+ Rg8 26.Cxe6 Cxe6 27.Dd5+-) 23.Tc2 Da3 24.Cxe6 B4b1) 24...Tf7 25.Cxc7 Dxb3 26.Cxa6 (26.Td2 Dxd1 27.Tfxd1 Bxc7 28.Txd7+-) ; B4b2) 24...Te8 25.Cxc7+-; B4b3) 24...Dxb3 25.Cxf8 Cxf8 26.Db1 (26.Tc6! De6 27.g3 a5 28.Te1 Df7 29.Dd3+-) 26...Dxb1 27.Txb1+- Cd7 28.Td1 Cc5 (28...b4 29.Txc7!? Bxc7 30.Txd7 Be5 31.Ta7) 29.Td5 Ce4 30.Tc6 1–0 Khalifman,A-Hracek,Z/Parnu 1996] 16.Bxb3 ["Esta é a posição chave. A questão é: as pretas podem capturar a torre?" (Keene)] 16...Cd4 ["Lance de valor duvidoso." (K)] [16...Dxa1 A) 17.Df3 Cd8 A1) 18.Bf4 Dd4 19.Td1 Da7 20.Bxe6 Cxe6 21.Dc6+ Rf7 22.Td7+ Be7 23.Be3 Db8 24.Df3+ Rg8 (24...Re8 25.Dc6 Rf7 26.Df3+=) 25.Txe7 (25.Dd5 De8 26.Dxe6+ Rf8–+) 25...Df8 26.Txe6 Dxf3 27.gxf3 Rf7 com vantagem das pretas.; A2) 18.Dxa8 18...Dxe5 19.Dxa6 Bd6 20.f4 Dc5+ 21.Rh1 0–0 e a posição é incerta.; B) 17.Dh5+ B1) 17...Rd7 18.Bxe6+ Rxe6 19.Dg4+! Kasparov,G. 19...Rf7 (19...Rd5 20.Dd7+ Bd6 21.Df7+ Rxe5 22.Dxg7+ Re6 23.Dxa1+-) 20.Df3+ Re6 (20...Rg8 21.Dd5#) 21.Dxc6+ Bd6 22.exd6 De5 B1a) 23.Bd2! Dxd6 24.Te1+ Rf7 25.Df3+ Rg6 (25...Df6 26.Dd5+ Rg6 27.Te6+-) 26.Dg4+! (26.Bf4? The8!; 26.h4? h6! 27.h5+ Rh7 28.De4+ g6 29.Bb4 The8 30.Bxd6 Txe4 31.Txe4 cxd6 32.Te7+ posição incerta.) 26...Rf7 27.Bc3!+-; B1b) 23.Bd2!+- Kasparov,G. ; B2) 17...g6 18.Df3 B2a) 18...0–0–0 19.Dxc6 Dxe5 20.Dxa6+ Rb8 (20...Rd7 21.Bb2!+-) 21.Be3+-; B2b) 18...Cd4 19.Dxa8+ Rf7 20.Dd8! Ce2+ 21.Rh1 Dxe5 22.Bg5!±; B2c) 18...Cd8 B2c1) 19.Bf4 Dd4 20.Td1 Da7 21.Txd8+ Rxd8 22.Bg5+ Be7 23.Bxe7+ Rxe7 24.Df6+ Rd7 25.Dxe6+ Rd8 26.Df6+ Rd7 27.De6+ Rd8 28.Df6+ Rd7=; B2c2) 19.Df6 B2c21) 19...Dd4 20.Dxh8 Dd7 (20...Dh4 21.Bc2!±) 21.Bh6 De7 22.Bxf8 Dxf8 23.Dxh7 Df7 24.Dh6 Df5 25.Dc1 Tc8 (25...Dxe5 26.Bxe6!) 26.Dc5±; B2c22) 19...Tg8 B2c221) 20.Bg5 Dc3 (20...Dxf1+ 21.Rxf1 Ba3 22.Df3±) 21.Td1 (21.Bxe6 Tg7 22.Td1 Te7!–+) 21...Bd6!; B2c222) 20.Bxe6 B2c2221) 20...Be7 21.Bd7+! Rxd7 22.e6+ Cxe6 23.Dxa1± (23.Dxa1 Kasparov,G 23...Bd6 24.Be3±) ; B2c2222) 20...Cxe6 21.Dxe6+ Be7 22.Dxg8++-; B2c2223) 20...Bg7 21.Bf7+! Rd7 22.e6+ Rc8 23.Dxa1 Bxa1 24.Bxg8 Bf6 25.Te1 Cc6 26.Bxh7 Ce7 27.Ba3+-; B2c2224) 20...Tg7 21.Ba3 Dxf1+ 22.Rxf1 Bxa3 (22...c5 23.Bxc5 Bxc5 24.Dxg7 Cxe6 25.Dxh7 Td8 26.Dxg6+ Re7 27.Df6+ Rd7 28.Df3+-; 22...b4 23.Bxb4 Bxb4 24.Bd5+-) 23.Dxg7 Cxe6 24.Dxh7 (24.Dg8+ Cf8 25.e6 Be7 vantagem preta) 24...Td8 25.Dxg6+ Re7 posição incerta.; B2c3) 19.Dxa8 Dxe5; B2c4) 19.Td1 B2c41) 19...Dxe5 20.Bf4 Df6 21.Dxa8 Bc5 (21...Be7 22.Bxc7±) 22.Txd8+ Re7 (22...Dxd8 23.Dc6+ Dd7 24.Dxc5+-) 23.Dc6 Bxf2+ 24.Rf1 (24.Rxf2 Dxf4+–+) 24...Txd8 25.Bg5 Td1+ (25...Dxg5 26.Dxe6+ Rf8 27.Df7#) 26.Bxd1 Dxg5 27.Dxc7+ Re8 28.Rxf2+-; B2c42) 19...Tb8!? B2c421) 20.Df6 Tg8 21.Bg5 (21.Txd8+ Txd8 22.Dxe6+ Be7 23.Dxg8+ Rd7 24.De6+ Re8 25.Df7+=) 21...Dxd1+ 22.Bxd1 h6 23.Be3 Be7 posição incerta.; B2c422) 20.Dd3! B2c4221) 20...Bd6 21.exd6 Dg7 22.Bb2 e5 (22...Dxb2 23.dxc7+-) 23.d7++-; B2c4222) 20...Be7 21.Dd7+ Rf7 22.Bg5 Dxd1+ 23.Bxd1 Te8 24.Dxc7 (24.Bg4 h5 25.Bh3 e as brancas têm ataque) 24...Tb7 25.Dc1±; 16...Td8? Kasparov,G 17.Dh5+ g6 18.Dg4 Dxe5 19.Bb2! Cd4 (19...Dxb2 20.Dxe6+ Ce7 21.Df7++-) 20.Tae1 Df5 21.Dxd4! Txd4 22.Bxd4+-] 17.Dg4 [17.Dh5+? Kasparov,G 17...g6 18.Dg4 Dxa1 19.Bxe6 Dc3 20.Bd7+ Rd8!–+; 17.Bg5? Kasparov,G 17...Cxb3 18.axb3 Dxe5 19.Dh5+ g6 20.Df3 Bd6! (20...Dd5? 21.Df6) 21.Tfe1 Dxh2+ 22.Rf1 Dh1+ 23.Re2 Dh5 24.g4 Dxg5 25.Dxa8+ Dd8 posição incerta.] 17...Dxa1 [17...Cxb3 18.Dxe6+ Be7 19.Bg5+-] 18.Bxe6 [Kasparov continua jogando muito rápido e agora tinha cerca de uma hora de vantagem no relógio. (B)] [18.Be3? Kasparov,G 18...Ce2+ 19.Dxe2 Dxe5 20.Df3 Bd6!–+] 18...Td8 ["A posição preta começa a parecer desesperada. Seu rei ainda está no centro, exposto ao estilo do bom e velho estilo de ataque romântico do século XIX. Os paralelos com o Gambito Evans que Kasparov utilizou para vencer Anand começam a ficar óbvios." Jogado bem rápido por Anand. As pretas dispõem de outros lances, mas parece que todos eles também levam à derrota:] [18...Cxe6 19.Dxe6+ Be7 20.Bg5+-; 18...Dc3 19.Bd7+ Rf7 (19...Rd8 20.Bg5+ Be7 21.Bxe7+ Rxe7 22.Dxg7++-) 20.Be3 Bc5 (20...c5? 21.Bxd4 Dc4 22.e6+ Rg8 23.e7+-) 21.Td1 Ce2+ A) 22.Dxe2 Bxe3 (22...Dxe5 23.Df3+ Re7 24.Bxc5+ Dxc5 25.Bh3‚) 23.e6+ Re7 24.fxe3 com forte ataque.; B) 22.Rh1! 22...Bxe3 23.De6+ Rf8 24.Df5+ Re7 25.Be6+-; 18...Be7 Kasparov,G 19.Bg5 Dc3 (19...h5 20.De4+-) 20.Bd7+ Rf7 21.e6+ (21.Bxe7? Ce2+! 22.Rh1 Dxe5 23.Ba3 Thd8 com posição incerta.) 21...Rf8 22.Dh5 g6 23.Dh6+! Rg8 24.Bxe7 Cf5 25.Df4+-; 18...Dc3!? Kasparov,G] 19.Bh6! [19.Bg5? Kasparov,G 19...Dc3 20.Bxd8 A) 20...Rxd8? 21.Td1 Re7 (21...c5 22.Bc8 Rc7 23.Dd7+ Rb6 24.Dd8+ƒ) 22.Bc8 Rf7! 23.h4 Bc5 24.Dd7+ Rg6 25.Txd4 De1+ 26.Rh2 Dxe5+ 27.f4 Df6 28.Dg4+! Rf7 (28...Rh6 29.Td5 g6 30.Td7+-) 29.Td7+ Be7 30.Txc7 com ligeira vantagem branca.; B) 20...h5!! 21.Dg6+ Rxd8 22.Td1 c5–+] 19...Dc3 ["A única maneira de sobreviver ainda por alguns instantes." (K)] [19...Dxf1+ 20.Rxf1 A) 20...g6 Kasparov,G 21.Be3 Bc5 22.Bb3! (22.Bc8? 0–0!) 22...Cxb3 (22...Tf8 23.Bxd4+-) 23.De6+ Be7 24.axb3+-; B) 20...gxh6 21.Dh5++-; 19...Db2 Kasparov,G 20.Bxg7 De2 21.Bxh8 Dxg4 22.Bxg4+-] 20.Bxg7 Dd3 [20...Bxg7 21.Dh5+!+- e mate no próximo lance.] 21.Bxh8! Kasparov,G. ["Até o momento, Kaspárov só havia consumido seis minutos no relógio." - Keene] 21...Dg6 [21...Ce2+ 22.Rh1 Cg3+ 23.hxg3 Dxf1+ 24.Rh2 Dd3 (24...Dxf2 Kasparov,G 25.Bf6+-; 24...Td1 Kasparov,G 25.Dh5++-) 25.Bf5! Dc4 (25...Dd1 26.f3+-) 26.f4 [ganhando (Kasparov)] 26...Dxa2 27.Bxh7+-] 22.Bf6 Be7 23.Bxe7 Dxg4 [23...Rxe7 24.Dh4+ Re8 25.Bg4+-] 24.Bxg4 Rxe7 25.Tc1! ["Lance estelar que abruptamente liquida o contrajogo preto. Se Anand tivesse a autorização para jogar ...c7-c5-c4, as coisas ficariam pouco claras. Gari gastou bastante tempo para executar esse lance. Como ele próprio colocou, "Há muito tempo que eu não ficava nesta situação, duas semanas seguidas jogando sem conseguir vencer. Eu tinha começado a partida com um sacrifício brilhante e não queria pôr tudo a perder." A última vez em que Kaspárov ficou tanto tempo sem vencer foi no primeiro match contra Kárpov, em 1985! (Dez anos antes)] 25...c6 26.f4 a5 [26...Tg8 27.Bd1+-] 27.Rf2 a4 28.Re3 b4 29.Bd1 ["Jogado com precisão."(Kasparov)] [O tentador 29.Tc4? permitiria 29...a3 e as pretas ficariam muito melhor do que na partida real." (K) e se agora 30.Txd4?? Txd4 31.Rxd4 b3–+] 29...a3 [29...b3 30.axb3 a3 31.g4+-] 30.g4 [Agora está tudo claro. O avanço preto na ala de dama já foi controlado e agora Garry está pronto para avançar com seus peões 'e' e 'f'." (B)] 30...Td5 31.Tc4 c5 [31...Cf5+ 32.gxf5 Txd1 33.f6+ Rd7 34.Txb4+-; 31...Ce6 Kasparov,G 32.Bb3 Cc5 33.Bc2! (33.Txb4?? Td3+ 34.Re2 Txb3–+) 33...b3 34.Bxb3 Td3+ 35.Re2 Txb3 36.Txc5] 32.Re4 Td8 33.Txc5 Ce6 [33...b3 34.Bxb3 Cxb3 35.axb3 Ta8 36.Tc7+ Rf8 37.Tc1+-] 34.Td5 Tc8 35.f5 Tc4+ 36.Re3 Cc5 37.g5 Tc1 38.Td6 e as pretas abandonaram diante da perspectiva de 38...b3 39.f6+ Rf8 40.Bh5 Te1+ 41.Rf3 Cb7 42.Ta6 etc. 1–0
2017 - Todos os direitos reservados
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal