Variações do jogo de Xadrez - Tabuleiro de Xadrez

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Variações do jogo de Xadrez

SHOGI (Xadrez Japonês)


Costuma-se assumir que o Shogi, ou Jogo dos Generais, veio da China, da Pérsia ou então da Índia, passando pelo sudeste da Ásia. É muito valorizado, além de ser o jogo mais popular no país, e tem uma tradição de vários séculos. Para dar uma ideia de quanto é apreciado, há uma referência de que em 1860 havia sete professores de Xadrez do Estado, só em Yeddo. É um jogo da família do Xadrez. Entre os princípios característicos dessa família temos: tabuleiro quadriculado, peças de hierarquia e movimentos diferentes, igualdade de material, captura de peças por substituição e como último objetivo do jogo a captura da principal peça adversária. Algumas das características diferenciais do Shogi são:

  • tabuleiro ligeiramente retangular de 9X9
  • o tabuleiro é dividido em três áreas horizontais de três linhas cada; de cada lado o território de um jogador e no centro o território neutro
  • as peças têm de um lado uma figura e do outro outra, com uma cor diferente, em que ela se transforma caso seja promovida; as figuras são representadas por caracteres japoneses; a cor não é usada para diferenciar os exércitos
  • as peças tem uma forma particular, semelhante a um escudo, e apontam na direção do exército adversário; sua posição é que determina a que exército pertence
  • uma peça capturada passa a ser do outro jogador e pode ser recolocada no jogo, virada para o outro lado
  • as peças são: rei, general de ouro, generais de prata, cavaleiros, lanceiros, carruagens, diagonais e soldados.

XIANG-QI (Xadrez Chinês)


Não confundir com as Damas Chinesas, no Brasil popularmente chamadas de Xadrez Chinês, mas que têm pouco a ver com o Xadrez. Talvez o Xiang-Qi seja o jogo mais jogado no mundo, já que é o mais popular da China, cuja população excede 1 bilhão de pessoas, além de ser jogado na Indo-China e no Arquipélago Malaio. Curiosamente, na China o jogo não atrai tanto a elite, que prefere o Wei-Qi (conhecido no Ocidente por seu nome japonês: Go). É um jogo da família do Xadrez. Entre os princípios característicos dessa família temos: tabuleiro quadriculado, peças de hierarquia e movimentos diferentes, igualdade de material, captura de peças por substituição e como último objetivo do jogo a captura da principal peça adversária. Entre as características diferenciais do Xiang Qi temos:

  • tabuleiro de 8X9
  • as peças não ocupam o centro dos quadrados, mas as intersecções das linhas
  • as peças são discos circulares com caracteres que as identificam
  • um rio divide os dois campos (todas as peças podem atravessá-lo, com exceção do elefante)
  • algumas peças são diferentes nos dois exércitos, embora tenham os mesmos poderes. As peças são (entre parênteses as correspondentes no outro exército): general, ministro, elefante (assistente), cavalo, carruagem, canhão (catapulta) e soldado.
  • o general (peça principal) tem seu movimento restrito ao palácio (formado por duas linhas em X ocupando as casas centrais do seu lado do tabuleiro)

O Xadrez Coreano, Changgi, é muito parecido com o chinês, a não ser pela forma mais larga do tabuleiro e pela ausência do rio.

GO (Japão) WEI-QI (China) BADUK (Coréia)


A historia do jogo Go se originou em torno de 4000 atrás. É provavelmente o mais antigo jogo de tabuleiro do mundo. Tem suas raízes no extremo oriente, primeiro na China, mesmo que alguns propõem que ele tenha iniciado no Tibet, no Himalaia. É um jogo que hoje, tempos modernos, é jogado por milhões de pessoas ao redor do mundo, alguns competindo em torneios ao redor do globo, disputando altos valores. No extremo oriente eles jogam Go como no ocidente se joga xadrez. A palavra inglesa para esse jogo é "Go". No Japão é chamado "Igo". Na China é chamado ainda "Weichi" ou "Weiqi". Em Taiwan é chamado "Goe". Na Coréia "Baduk". Alguns pesquisadores afirmam que o jogo foi originalmente desenhado por um imperador Chinês para instruir seu filho, enquanto outros sugerem que ele foi o precursor do ábaco. Em todo caso, ele é oriental em sua origem, e isso aconteceu a muito, muito tempo, e há também várias lendas quanto a sua origem. Foi usado desde um jogo, para planejar estratégias de guerra, à supostamente adivinhações e profecias. Go é um simples e divertido jogo e é até rápido entender seus princípios, e isto conquistado, o progresso pode ser até rápido aperfeiçoando sua habilidade. No entanto, alguém disse que um pode se tornar um mestre no jogo, sem nunca no entanto parar de aprender algo novo.

VARIAÇÕES DO JOGO DE XADREZ

Você está cansado do jogo tradicional? Quer variar um pouco só para distrair? Estas variações são jogadas com o mesmo tabuleiros e as mesmas peças do jogo de xadrez convencional.

CHEFE E GUERREIROS

Um jogador coloca as peças de xadrez em seus lugares habituais. O adversário terá apenas a dama, o chefe. Este pode mover-se como uma dama e como um cavalo. Seu objetivo e tomar as peças do adversário, incluindo o rei (não há cheque, portanto). As peças do adversário, os guerreiros, movem-se como no xadrez oficial e seu objetivo e dar cheque mate no chefe. O jogo se inicia com um movimento dos guerreiros.

XADREZ DOBRADO

Aplicam-se aqui as regras do xadrez oficial, exceto pelo fato de que cada jogador fará dois movimentos a cada jogada. Isso só não ocorrerá quando o primeiro movimento de um jogador resultar em cheque ao rei adversário. Nesse caso, a jogada passa para o oponente, que deverá safar-se do cheque também em apenas uma jogada – caso contrário, será declarado cheque mate. No caso de que nenhum dos jogadores consiga executar o segundo movimento, o jogo termina em empate.

GLUTÃO

Nessa variante utilizam-se as todas as peças do xadrez oficial. Não há cheque mas sim a obrigação de tomar as peças do adversário, inclusive o rei, sempre que isso for possível. Ou seja: a tomada é obrigatória. No caso de um peão chegar à oitava casa de sua coluna, irá converter-se em qualquer peça já tomada. Ganha o jogador que tomar todas as peças do adversário ou que o imobilizá-lo.

XADREZ DE POSIÇÕES

Ambos jogadores colocam, alternadamente, uma peça qualquer numa posição qualquer do tabuleiro. Uma vez colocada, a peça não poderá ser movida dali. Os peões não podem ser colocados na primeira nem na última fileira (no sentido horizontal). Os bispos de um jogador devem ser colocados numa casa preta e numa branca, respectivamente. As peças não poderão ser colocadas numa casa que esteja ameaçada por peça adversária. Da mesma forma, não se pode colocar uma peça numa posição que ameace alguma peça adversária. No momento em que jogador não conseguir colocar uma peça, perderá o jogo.
2017 - Todos os direitos reservados
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal